1 de dez de 2013

...o preto e branco que me move na percepção...

Não me recordo se já comentei isso aqui, mas a percepção das cores são um resultado de refrações e reflexões em nossos olhos e teoricamente cada ser tem seu ajuste, é possível imaginar que as coisas não possuem cores mas capacidades distintas de reflexo da luz, onde uma filtra mais uma gama de cores que  outra no espectro luminoso, e assim vai. Podemos triangular entre três universos, o da luz, o da matéria e o dos seres e suas percepções, do que concluímos precocemente que as cores não existem, mas isso tornaria a vida cinza. Deixemos então apenas pequenos recortes de um mundo preto e branco convertidos em poesia para os olhos...embarquem nessa pequena viagem...



A cada dia, minha vida se torna mais cheia de cores e detalhes, onde minha expressão artística e minha percepção ganham novos horizontes. Fotografar em preto e branco, embora sem cores, contribui sem limites para esta evolução. Curioso? talvez...



Em uma seção de frames em PB, é possível captar a essência da paisagem imortalizada em sua forma, cada detalhe um tom de cinza, contrastes fantásticos dá um olhar poético da natureza ainda viva na paisagem, mas já morta em um frame. Troncos secos se tornam esculturas, a fluidez de um rio com seu brilho único, a floresta sombria... uma paisagem nova se revela quando capturadas sem cores.